segunda-feira, setembro 29, 2008

Police Act Review, ou wikis como ferramenta de e-gov

Estive hoje na palestra de Anthony Williams, o autor de Wikinomics, que esteve em BH a convite do Instituto de Governança Social, ligado ao governo do Estado.

O pesquisador falou sobre a relações entre redes sociais online e a participação popular, especialmente a partir de iniciativas de governo eletrônico, na linha do já badalado e-gov 2.0.

Me limitarei a registrar aqui a pergunta que fiz a mr. Williams. Pedi a ele exemplos de uso da ferramenta wiki a partir do qual tenha sido possível chegar a algum consenso, por exemplo resultando em algum encaminhamento de ordem legal.

Vejo aí um ponto chave dos wikis: a necessidade, ou ao menos a tentativa de se chegar a um consenso sobre determinado assunto, já que uma única página é produzida por inúmeras pessoas. Essa premissa os diferencia dos blogs e outras ferramentas da web2.0, que, embora permitam debates e trocas (através de links, comentários etc), são essencialmente autorais e não demandam uma conclusão, ainda que provisória. Esta característica, ao meu ver, torna os wikis uma ferramenta tão útopica e relevante quanto a própria democracia, e consequentemente fundamentais para governo na perspectiva colaborativa.

Entre os exemplos citados por ele, um me chamou a atenção: o Police Act Review.

Entre 2006 e 2007, a polícia da Nova Zelândia abriu um wiki para coletar sugestões de modernização das regras de conduta da corporação, cuja versão anterior datava de 1958.

Foram definidos oito temas (Principles, Governance and accountability, Employment arrangements, Community engagement , Powers and protections, Relationships, Administration e Conduct and integrity) que, a partir de perguntas propostas pela instituição, foram discutidos em média por seis meses, especialmente por grupos organizados. A discussão foi balizada por Princípios de Consulta e Participação e contou com 220 respostas de 132 diferentes participantes.

A consulta resultou no documento Policing Directions in New Zealand for the 21st Century e no novo Policing Act 2008, que entra em vigor no dia 01 de outubro.

Para os interessados, há um paper que registra o processo e seu condução: Perspectives on policing: An analysis of responses received on the Police Act Review Issues Papers.

É inevitável observar que os direcionamentos iniciais e a edição final organizada pela própria polícia diferenciam bastante a iniciativa da proposta de uma Wikipédia, por exemplo, o que não tira em nada o mérito do projeto.

Instigante mesmo seria ver uma instituição brasileira, ainda mais da área de segurança pública, propor algo semelhante...

Nenhum comentário: