sábado, março 31, 2007

Links for 2007-03-30 [del.icio.us]




sexta-feira, março 30, 2007

Assine Carta Maior

Em plena crise financeira após o cancelamento de um contrato de patrocínio pela Petrobras, a agência Carta Maior convoca seu público a ajudá-la a sobreviver. Não doando dinheiro ou comprando assinaturas, mas assinando o boletim eletrõnico, o que lhe dará mais poder de argumentação ao negociar novas cotas com investidores.

Se você acredita numa comunicação mais pluralista, cadastre-se já.

Links for 2007-03-29 [del.icio.us]


  • Yahoo! Repórter
    Dois universitários vão cobrir o Pan 2007 através de um blog. Inscrições abertas

terça-feira, março 27, 2007

Só faltava essa

O Gmail tem me deixado na mão mais de uma vez por semana durante todo este mês.

Uma das minhas planilhas do Google Docs só abre mediante reza brava.

Espero que o problema seja apenas comigo.

sexta-feira, março 23, 2007

Sábado off-line

Não sou lá muito afeito a este tipo de mobilização, mas a semana derretendo sob o sol e previsão de calor bravo em BH no fim de semana me influenciaram: vou aderir ao ShutDown Day.

TV1 Trend Report

Vídeo criado pela produtora TV1 é uma excelente apresentação da web2.0 e seus impactos sociais, econômicos e culturais.

Dica do aluno do Thiago Augusto, do curso de Publicidade.


quarta-feira, março 21, 2007

terça-feira, março 20, 2007

You Oscar

Inúmeros são os casos de vídeos virais que bateram recordes de audiência (se é que ainda é correto usar esta expressão) no You Tube. Outros foram reconhecidos pelo qualidade da produção, ainda que a visitação não seja tão grande.

Movido em grande parte pelas listas dos "Mais vistos", "Mais comentados" e afins, o You Tube procura intensificar a popularidade e reconhecimento das melhores produções com um concurso oficial.

O YouTube Video Awards 2006 vai receber, até sexta-feira, dia 23, os votos dos usuários em sete categorias não muito ortodoxas: vídeo mais criativo, mais inspirador ("que te faz refletir ou desperta sentimentos"), melhor série, comédia, musical, comentário (vídeo em resposta a outro) e a produção "mais adorável", para imagens sobre animais e crianças, digamos, fofinhos.

Por ora, os ganhadores, além da popularidade, deverão se contentar com um troféu.

Esta não é a primeira vez que o YouTube cria um ranking para incentivar o voto nas produções favoritas: modelo muito semelhante foi usado após a edição 2007 do SuperBowl, quando os VTs comerciais superproduzidos (alguns deles a partir de concursos) foram "confrontados" numa página especial.

Links for 2007-03-19 [del.icio.us]



segunda-feira, março 19, 2007

web 3.0 (ou o "piloto-automático" na internet)

O esforço por técnicas mais avançadas de recuperação da informação tem origem nos estudos de Ciência da Informação e Biblioteconomia (library science), ávidos por obter resultados mais relevantes ao consultar acervos impressos ou digitais.

O uso de metadados na internet passou por uma lenta e desafiadora evolução desde a invenção da WWW, no início dos anos 90. Se compararmos a Web a uma auto-estrata em que os hiperlinks conectam as ruas, na web 1.0 a sinalização podia ser lida apenas pelos humanos, mas não pelas máquinas.

O desenvolvimento do XML permitiu um padrão de classificação de conteúdos através de categorias convencionadas, iniciando um processo de separação entre forma e conteúdo que caracteriza a web 2.0.

A partir de 1998, a discussão evoluiu para a construção de relações entre as categorias de dados, ampliando o conceito de ontologia, que provem da antigas técnicas da biblioteconomia. Ganha forma, mais uma vez pelas mãos de Tim Berners-Lee e sua equipe, um novo conceito: "Web Semântica".

Com a web funcionam como um grande banco de dados, a auto-estrada antes interpretada por motoristas agora é comandada por carros que identificam sozinhos as rotas e verificam as condições do trânsito, sempre mantendo informados (e desocupados) os motoristas.

Chegaremos assim na web3.0, um "conjunto de tecnologias que oferecem novos modos eficientes para auxiliar computadores na organização e extração de conclusões a partir dos dados publicados", segundo definição elaborada por John Markoff em artigo no NYT.

Este texto foi baseado no artigo A Smarter Web, de John Borland, no site da revista Techlnology Review. A segunda parte desta história será publicada na terça, 20/03.

Comentário: Inevitável pensar na resistência que motoristas-usuários mais experientes terão ao deixar os volantes de sua navegação sob o comando das ferramentas de busca e afins. Certamente voltaremos ao tema.

Atualização 20/03 - A segunda parte do artigo aprofunda as explicações sobre o desenvolvimento da web Semântica e as dificuldades encontradas no aperfeiçoamento das ferramentas. Entre elas, um antigo dilema da Inteligência Articifial: a virtual impossibilidade das máquinas reproduzirem o pensamento humano, o que impediria o computador de mapear toda a ontologia que cerca uma palavra complexa como "casamento", por exemplo.

Para o professor Clay Shirky, da Universidade de Nova York, "people forget there are humans under the hood and try to treat the Web like a database instead of a social construct".

Poderia a web 3.0 entrar em colisão com a construção social em que se baseia a versão 2.0 da internet?

domingo, março 18, 2007

Links for 2007-03-16 [del.icio.us]


  • 5 Congresso da SOPCOM - Universidade do Minho
    "Comunicação e Cidadania" é a temática escolhida para o V Congresso da Associação Portuguesa de Ciências da Comunicação (SOPCOM) que se realiza de 6 a 8 de Setembro próximo, na Universidade do Minho (UM), em Braga. Nesses dias, serão discutidas


quinta-feira, março 15, 2007

Links for 2007-03-14 [del.icio.us]

 

  • CHAPPA
    CHAPPA surge como o canal carioca da nova música. CHAPPA trabalha pela transformação social e a geração de riquezas e empregos em torno de um arranjo produtivo mais eficiente para os agentes locais. CHAPPA vê a música brasileira e a economia da cultura...

terça-feira, março 13, 2007

2º fórum de mídia eletrônica e audiovisual AMAV

A programação completa está no site da Amav.

Celular 2.0

Característica fundamental dos sites que compõem a web 2.0, a participação do público na produção e publicação de conteúdo parece chegar de vez à mídia símbolo da convergência, o telefone celular. Nas últimas semanas, as principais operadoras de telefonia móvel do país anunciaram iniciativas que incentivam os usuários a compartilhar vídeos produzidos com e/ou para seus aparelhos.

A Claro já está selecionando cinco vídeos por mês e os disponibilizando para download no projeto
Claro Vídeo Maker. O melhor será escolhido em setembro e o autor ganhará uma viagem para Londres. As mini-produções devem ser inéditas, ter no máximo 30 seguntos de duração e podem ser gravadas pelo celular ou qualquer outro aparelho digital. Para inscrevê-lo basta publicar o arquivo no YouTube e, ao preencher o cadastro, fornecer enviar a URL à operadora .

Na onda da produção de séries para celular, a Oi deve lançar um concurso para estimular novos talentos, inclusive atores. Os melhores participarão das próximas produções, realizadas em parceria com a Produtora KN.

A Vivo, por sua vez, promete para o fim do ano um mecanismo para seus clientes enviarem vídeos para o Vivo Play 3G e, mediante audiência, remunerá-los pelo trabalho. A Oi também estuda um modelo de negócios para um portal de downloads de vídeos produzidos pelo público.

sábado, março 10, 2007

Links for 2007-03-09 [del.icio.us]


  • The Gapminder World 2006, beta
    Gapminder is a non-profit venture developing information technology for provision of free statistics in new visual and animated ways. Goal: enable you to make sense of the world by having fun with statistics.

sexta-feira, março 09, 2007

Links for 2007-03-08 [del.icio.us]




quinta-feira, março 08, 2007

quarta-feira, março 07, 2007

Links for 2007-03-06 [del.icio.us]

terça-feira, março 06, 2007

Links for 2007-03-05 [del.icio.us]



segunda-feira, março 05, 2007

Web 2.0 ilustrada


Lembra os desenhos de Onde está o Wally...

Compre no eBoy.

Google e blogs são temas de livros


Dois livros recém-lançados no Brasil (e ainda não lidos por mim):

- Google - A história do negócio de mídia e tecnologia, de
David A.Wise e Mark Malseed (Editora Rocco), é uma biografia da empresa modelo da nova era da comunicação. Os autores contam as histórias individuais e o encontro entre os fundadores Sergey Brin e Larry Page e chega ao desenvolvimento do conceito e modelo de negócio do Google. Trata-se aparetemente de uma obra complementar a A Busca, de John Battelle. Segundo resenha do NYT:
“A História do Google” e “A Busca” tratam daqueles assuntos com visões opostas. Enquanto as coberturas são bem feitas – e enquanto ambos os livros bajulam o Google com capas mostrando seu logo brilhantemente modesto – eles interpretam a ética do fazem diferentes prospectos para o futuro da companhia. O céu é o limite para “A História do Google”, um incandescente, as vezes ingênuo, testamento para o “senso de mágica do Google”. Battelle decide por uma perspectiva mais técnica e reveladora e está mais inclinado a procurar problemas.

- Blog - Entenda a revolução que vai mudar seu mundo, de Hugh Hewitt (Editora Thomas Nelson Brasil), é considerado um dos mais importantes estudos sobre o mais importante produto editorial das novas mídias. O autor (professor de direito e blogueiro) analisa, entre outros aspectos, a influência dos blogs na política dos EUA. O blog Repositório fez um resumo de cada capítulo do livro.

A obra preenche uma grande lacuna na bibliografia sobre o tema, uma vez que outros livros sobre o assunto em português (
Blog Corporativo e Blog: Comunicação e Escrita Íntima na Internet, por exemplo) têm seu escopo restrito a uma das apropriações possíveis desta ferramanta.

A ler.


sábado, março 03, 2007

Links for 2007-03-02 [del.icio.us]

  • ( ( ( ( ( MOBILEFEST ) ) ) ) )
    Com agenda composta por atividades culturais e técnicas o MOBILEFEST - Festival Internacional de Arte e Criatividade Móvel - compreende a realização de Seminário Internacional, oficinas de capacitação, Mostra Expositiva Internacional e premiação

quinta-feira, março 01, 2007

Internet para pesquisadores

José Luis Orihuela, no blog ECuaderno, compilou recursos úteis disponíveis na internet para professores e pesquisadores que lêem em inglês e, principalmente, espanhol.

Bibliotecas virtuais, bases de dados e buscadores, entre outros, compõem o Guía de Recursos en Internet para Investigadores.

Mobisodes, ou seriados para celular

Cinco jovens e um cão em férias em Búzios. No enredo, paixões, surfe, crises de identidade e outros dilemas adolescentes. No melhor estilo "Malhação", "Parafina" é a primeira série desenvolvida pela operadora Oi exclusivamente para celulares. Até o fim do ano, os Mobile Episodes devem aumentar para cinco programas, seguindo a tendência de oferta de conteúdo de maior valor, como ringtones e vídeos.

De segunda a sexta, um novo episódio (total de 22 ao custo de R$0,99 cada) será disponibilizado através do portal Wap. É curioso notar como, mesmo com a flexibilidade dada por um aparelho como o celular, a lógica da periodicidade, típica da TV e suas novelas, foi praticamente reproduzida na estratégia da Oi. Por se tratar de download, o programa fica armazenado no aparelho por tempo indeterminado.

_______

A marca Oi já é o nome oficial do grupo da antiga Telemar. O telefone fixo, por exemplo, passa a se chamar Oi Fixo, acelerando o processo de convergência da empresa. O site da Telemar (marca queimadíssima entre os clientes, aliás) ainda permanece o mesmo.

Jornais em PDF: formato polêmico

Afinal, disponibilizar versão de jornais em PDF via internet é um novo negócio para as empresas de comunicação e/ou um sintoma da falta de criatividade dos veículos tradicionais frente às possibilidades da web?

A discussão é antiga, já foi abordada neste blog e não merece respostas fáceis. Na última semana, voltou à tona na lista de discussão dos Jornalistas da Web e rendeu um artigo redigido pelo editor Mario Lima Cavalcanti: Jornais em PDF dividem opiniões.

Matenho a posição apresentada na discussão e reproduzida no artigo: os PDFs e formatos similares nada acrescentam em termos de linguagem hipermidiática, mas são uma opção interessante para ampliação da circulação do conteúdo jornalístico em locais onde a edição impressa não chega e numa periodicidade inviável para as edições impressas. Repito: são possibilidades a serem testadas, e não simplesmente descartadas pelos veículos.

Em tempo: o conceito de circulação das informações na internet está sendo estudado pelo prof. Elias Machado, que apresentou no último encontro da Sbpjor um artigo entitulado Sistemas de circulação no ciberjornalismo. O assunto redeu uma das mais interessantes discussões do evento em Porto Alegre. Infelizmente o material não está online, mas envio o PDF (!!) a quem tiver interesse.
_____

O Jornalistas da Web começa esta semana 7 anos de vida prometendo para 2007 mais eventos e conteúdo multimídia. Sou assinante da lista há cinco anos e falo sem receios: trata-se da principal fonte de informação e discussão sobre JOL e mídias digitais no Brasil. Entre bate-bocas, off topics e furos, é lá que a comunidade se encontra. Vida longa ao JW!