domingo, abril 08, 2007

CitizenTube: primeiras impressões

O YouTube oficializou um "canal" de vídeos que desde dezembro de 2006 está no ar: o CitizenTube, que pretende ser um vlog sobre questões abertamente polêmicas, como meio ambiente, terrorismo, racismo, emprego, imigração e muitos outros listados no vídeo de apresentação.

O lançamento torna-se especialmente interessante porque começa a esquentar a disputa pelas vagas à presidência dos EUA e ninguém há de duvidar que a internet será um espaço fundamental de exibição de idéias e debates na eleição de 2008.

Algumas questões chamam-me a atenção:

- O canal é editado e moderado por Steve Grove, responsável pela política e notícias no YouTube. O site tem alguns editores, responsáveis por selecionar "pérolas" entre os milhões de vídeos (em língua inglesa) publicados no site e destacá-los, por exemplo, no blog oficial. Sadia, Mia e BigJoeSmith são outros responsáveis pelo Staff Picks of the Week, mas só Grove tem um canal temático sob sua responsabilidade. Será interessante observar o papel que um editor (jornalista?) terá em site cuja hierarquia é construída essencialmente pela votação e escolha do público.

- A nota de lançamento do canal diz trata-se de "um espaço onde qualquer um, de usuários a candidatos, têm a mesma chance de ser vistos e ouvidos. Deixem as melhores idéias vencer". Os canais em que o editor se subscreveu incluem políticos (Jonh Edwards, Hillary Clinton, Bill Richardson e vários outros pré-candidatos à presidência dos EUA), emissoras de TV (BBC, BBCWorldWide e Fox News) e outras instituições (Fundação Heritage e Unicef).

O uso excessivo destas fontes pode tornar o CitizenTube um espaço extremamente oficial, e consequentemente pouco relevante no contexto de uso de um site web 2.0. Dezenas de páginas de produtoras e diretores independentes, incluindo vlogs jornalísticos como PoliticsTV e Hotline TV (todas já listadas em seu portifólio) podem quebrar esta tendência.

- Há algum tempo o You Tube parou de exibir os feeds RSS gerados para os canais e tags. A única explicação lógica para isso seria obrigar os usuários a usar o recurso Subscribe, fazendo-os assim passar mais tempo dentro do próprio site. De todo modo, existe uma página (não linkada) para gerar RSS de seus canais favoritos.



Nenhum comentário: