sexta-feira, abril 28, 2006

Jornais em PDF e flip

Um jornal impresso, em sua versão online, deve adaptar-se à natureza hipertextual da internet, facilitando a navegação pelo usuário, a composição de bancos de dados de notícia e até mesmo a indexação das páginas pelos mecanismos de busca.

Certo? Não necessariamente, ao mesmo se julgarmos os sites de diferentes jornais brasileiros e estrangeiros.

Muito criticado, o formato PDF mostra-se uma solução recorrente para quem não abre mão da diagramação original dos jornais, especialmente das capas. Estado de São Paulo (que possui ainda versões Digital e "Somente Texto" - na verdade em html) e o O Tempo são dois exemplos deste modelo.

Já El País lançou o projeto 24 horas (dica via blog português Comunicação e Jornalismo), que oferece a qualquer leitor, sem nenhuma burocracia, uma versão de 12 páginas de conteúdo atualizado ao longo do dia para impressão. Mediante cadastro gratuito, é possível escolher entre as versões geral, internacional, espanhola e de economia, e ainda a previsão de tempo de sua cidade. Vale ler a análise inicial de Daniela Bertocchi no blog Intermezzo.

Outro formato que transpõe a lógica de leitura do papel para a tela é a tecnologia nacional Flip, que já tem como adeptos o carioca O Dia e o baiano A Tarde. Aqui é possível conciliar um grau mínimo de hipertextualidade (link nos títulos, os mesmos da versão impressa) e o velho hábito de folhear as páginas.

Por fim, Microsoft e New Yort Times anunciaram na última semana uma parceria para fornecer aos leitores uma versão para download do jornal, chamada de Times Reader. A partir de um software especial, o diário poderá ser lido impresso ou lido off line, e manterá as características gráficas da versão impressa. Ponto para a mobilidade, que neste momento parece muito mais importante para as empresas jornalísticas que qualquer adaptação de linguagem do papel para a web.

Nenhum comentário: