segunda-feira, dezembro 25, 2006

Novos produtos impressos

Os suportes digitais estão ganhando espaço dos veículos impressos, que tendem a ser menos numerosos, menores e com tiragem em queda, certo?

Não é tão simples assim.

"New Print Produts", estudo da Associação Mundial de Jornais (WAN), relata que nos últimos cinco anos, exceto nos EUA, cresceu ininterruptamente o número de publicações em todo o mundo. Hoje mais de 10 mil jornais diários pagos circulam no mundo.

Os autores do estudo apontam três grandes tendências para a mídia impressa: segmentação de público, distribuição gratuita (que registraram um aumento de 137% nos últimos cinco anos) e redução do tamanho do papel para o formato tablóide.

A íntegra da pesquisa pode ser acessada apenas por membros da WAN, mas o sumário está liberado.

___________

Este post encerra o corrente ano. Saímos para uma curta primeira temporada de férias, cheio de expectativas para 2007. Bom fim de ano a todos.

sexta-feira, dezembro 22, 2006

Links for 2006-12-21 [del.icio.us]


Senador spamzeiro

Há algumas semanas venho recebendo e-mails com o remetente Assessoria de Imprensa e subject Resumo da semana.

Seria mais um scan em busca de jornalistas desavisados ou contatos de assessorias que não se preocuparam em configurar decentemente o e-mail institucional?

Um dia resolvo abrir uma das mensagens e surpresa:


O candidato spamzeiro é agora um senador spamzeiro.

Reintero que jamais solicitei o recebimento de e-mais deste parlamentar.

O rodapé da mensagem me dá a opção de descadastro.

Esperaçoso, enviei uma mensagem pra lá.

P.S. - Se depender da Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática da Câmara dos Deputados, a situação acima não será considerada spam. Projeto do deputado Ronaldo Vasconcellos (PTB-MG) aprovado em 08/12 considera crime apenas os scans. Segundo o autor, "a mensagem comercial não solicitada, embora esteja sendo usada abusivamente, não coloca em risco o sistema social e não implica na violação de qualquer direito fundamental do cidadão'. Mais na Folha Online.


Atualização em 25/12 - em dois dias, mais dois spams. O descadastramento não funcionou. E a assessoria do parlamentar é de uma redundência sofrível: já anunciaram em 4 mensagens que ele foi eleitor melhor senador blá blá blá.

domingo, dezembro 17, 2006

Links for 2006-12-15 [del.icio.us]



sexta-feira, dezembro 15, 2006

Links for 2006-12-14 [del.icio.us]


quinta-feira, dezembro 14, 2006

Pós em Projetos Editoriais

Aos profissionais de comunicação e áreas afins, cabem hoje novos desafios profissionais:

- Como gerir seus próprios projetos - ou os projetos de seus clientes?
- Qual a equipe ideal e as funções de cada um?
- Qual o melhor suporte para se alcançar "aquele" público-alvo?
- Como as plataformas impressas e multimídia podem trabalhar de forma complementar?

Estas são algumas das questões que vão permear o curso de especialização em Projetos Editoriais Impressos e Multimídia, oferecido pelo Centro Universitário UNA, em Belo Horizonte.

Estou à frente do projeto em parceria com a professora Ana Elisa Ribeiro, figura ativa na cena acadêmica e cultural de BH e com experiência em edição de livros.

A novidade já repercutiu no Digestivo Cultural e no Jornalistas da Web. Valeu...

Atualização em 21/12 - notas também no Comunique-se e no Universia Brasil.

quarta-feira, dezembro 13, 2006

Links for 2006-12-12 [del.icio.us]


sábado, dezembro 09, 2006

Band, Abril e o jornalismo institucional de seus veículos

A MTV Brasil pertence ao grupo Abril e há anos reinava sozinha no segmento público jovem-clipes-comportamento.

A Play TV, produzida pela Game Corp, que tem entre os sócios Fábio Luiz Lula da Silva, fez uma parceria com o Grupo Bandeirantes e exibe seus programas na Rede 21 durante o horário nobre da noite.

Desde sua estréia, em julho, a Play TV vem superando a MTV em audiência na Grande São Paulo.

Reações: as revista da Abril, em especial a Veja, vêm batendo forte Game Corp, principalmente devido ao investimento de R$ 5 milhões feito pela Telemar na empresa do filho de Lula.

A Band resolveu revidar. Em editorial e uma série de matérias em seus telejornais, questiona a venda de 30% das ações da Abril para o grupo sul-africano Naspers, acusado de apoiar o Apartheid.

Matéria exibida na madrugada de hoje no Jornal da Noite discecou as relações escusas da editora com o poder em diferentes épocas, especialmente durante a ditadura militar. Confesso que não me lembro de ter visto as víceras da imprensa tão expostas pelos próprios meios de comunicação.

A chapa está esquentando...

Links for 2006-12-07 [del.icio.us]


The World In 2007 | The web is a serial killer
  • Artigo na The Economist: "YouTube exibe mais de 10 milhões de vídeos por dia e tem uma audiência tão grande quanto as maiores redes de TV norte-americanas". Ou seja, a TV é a atual "vítima" da internet ...

quarta-feira, dezembro 06, 2006

Democratização x velhas mídias

Debate sobre Democratização da Comunicação, realizado na faculdade Cásper Libero, reuniu pesos pesados do jornalismo brasileiro: Caio Túlio Costa (ex-UOL, hoje IG), Paulo Henrique Amorim (muito bem em seu blog, que reproduz os textos linkados abaixo) e Clóvis Barros Filho (USP/Espm).

A julgar pelos relatos, o que se viu foi um massacre da mídia tradicional:

“Se fizermos uma análise precisa das últimas eleições, vamos perceber que há um grande derrotado nessas eleições, que não é o PSDB. A grande derrotada nessa eleição foi a mídia como um todo, porque não conseguiu formar opinião”, disse Caio Túlio.

Para Paulo Henrique Amorim, a imprensa escrita é a indústria perdedora. Ele disse que produzir jornal no Brasil e em muitos lugares do mundo é um negócio tão promissor quanto:
. Ter uma siderúrgica em Pittsburgh
. Fábrica de automóvel em Detroit
. Ou produzir chapéu Côco em Londres

O professor Clóvis Barros Filho disse que há uma crença de que as notícias de internet são lidas por um universo menor de pessoas. “Mas essas notícias tem uma grande capacidade de agendamento social”, disse Barros.

Só não consegui rodar os vídeos ;-(...

terça-feira, dezembro 05, 2006

Links for 2006-12-04 [del.icio.us]



segunda-feira, dezembro 04, 2006

domingo, dezembro 03, 2006

quinta-feira, novembro 30, 2006

PL amplia propaganda eleitoral na TV (por assinatura)


Correção:
o projeto de lei prevê a transmissão da propaganda eleitoral nas TVs Senado, Câmara, Justiça e emissoras das Assembléias Legislativas, mas não nos canais comerciais da TV por assinatura. Falha nossa.

"As emissoras de rádio e de televisão e os canais de televisão por assinatura mencionados no art. 57 reservarão, nos trinta dias anteriores à antevéspera das eleições, horário destinado à divulgação, em rede, da propaganda eleitoral gratuita, na forma estabelecida neste artigo."

Este é o artigo 47 do projeto de Lei
133/2003, votado nesta quarta, dia 29/11, na Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática da Câmara dos Deputados.

Em bom português: querem ampliar a veiculação do bom e velho "horário político" na véspera das eleições também para os assinantes de TV por assinatura.

A proposta já foi encaminhada à Comissão de Constituição e Justiça, de onde segue para o plenário.

Será interessante para as operadoras?

Perderiam audiência, é claro, mas a remuneração prevista pela compra do espaço de programação é, ao menos para as TVs abertas, melhor que a venda de espaços publicitários.

segunda-feira, novembro 27, 2006

Digitalização a passos lentos

Passadas as eleições, aos poucos estão sendo retomadas as discussões sobre a implementação da TV Digital no Brasil. Na última semana foi nomeado o Fórum do SBTVD-T, sob fortes críticas de representantes da sociedade civil, mais uma vez ignorados na composição da instância de discussão.

Na abertura do fórum, dia 23, o ministro Hélio Costa afirma que os primeiros conversores (set top boxes) não darão acesso a qualquer recurso de interatividade (virão sem middleware) e o vídeo não seguirá o padrão MPEG-4. Em suma, a tecnologia será praticamente a adotada no Japão (ignorando as inovações brasileiras) e o conversor será uma antena de luxo para melhorar a qualidade da recepção de TV aberta em aparelhos analógicos.

Devagar, devagar, está quase parando este processo...

quinta-feira, novembro 23, 2006

Sou + Eu: cidadão ou celebridade?

Chega às bancas nesta quinta, dia 23, a nova aposta da editora Abril: a revista semanal “Sou + Eu”. Totalmente produzida pelas leitoras (destina-se ao público feminino), terá tiragem de 850 mil exemplares e apenas 16 jornalistas em sua redação.

A proposta é dar publicidade a produções e idéias de pessoas comuns - a maioria delas certamente interessadas em tornar-se celebridades.

Sorteio de prêmios, votações e envio de sugestões acontecem via SMS ao custo de R$ 0,31 (mais impostos). O gasto extra das leitoras é compensado pelo baixo preço de capa: R$ 1,99.

Uma tabela de preços divulgada pela revista deixa claro que as colaboradoras não serão voluntárias. Três páginas valem R$ 500 e o autor do vídeo mais votado de cada semana leva R$ 300, entre outros valores.

sexta-feira, novembro 10, 2006

Cobertura online

Como anda a cobertura online do sequestro do ônibus 499,em Nova Iguaçu, onde neste momento um desempregado mantém sua ex-mulher como refém?

Neste tipo de evento o público busca informações praticamente em tempo real. O rádio e TVs por assinatura cumprem este papel, mas como os portais da web estão se virando?

Ao meu ver, o UOL está "apanhando". A chamada principal da home sempre remete para uma matéria publicada minutos ou até horas atrás, dando a sensação do algo importante aconteceu e ainda não foi noticiado. Fora que a Folha Online e o UOL em alguns momentos linkaram para matérias diferentes, num claro exemplo de falta de integração entre as redações.

Com seu complexo de mídias, a Globo.com liberou o acesso à GloboNews (tive dificuldades de ver o video, travou o browser, mas na segunda tentativa funcionou). Pior: do Globo Media Center não há links para as matérias em texto publicadas no G1.

Parece-me o Terra achou a melhor opção. Da home abre-se um pop up com vídeo direto da Rede Record, links para galerias de imagens, notícias minuto-a-minuto ("narração") e para informações sobre o trágico sequestro do ônibus 174, em 2000.

quinta-feira, novembro 09, 2006

Uso das TICs no BR

Foi publicada ontem a 2ª Pesquisa Sobre Uso da Tecnologia da Informação e da Comunicação no Brasil. O trabalho realizado pelo Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto br baseou-se em 10.510 entrevistas na zona urbana das cinco regiões do país.

Foram mapeados:

- Acesso às Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC)
- Uso do Computador
- Uso da Internet
- Habilidades com o Computador
- Habilidades com a Internet
- Acesso sem Fio

Os dados podem ser cruzados por região, sexo, grau de instrução, faixa etária, renda familiar, entre outras variáveis.

Sobre os resultados, Rogério Santanna, conselheiro do CGI.br, afirma que, embora o acesso a computadores ainda esteja bastante condicionado ao grau de urbanização, renda e escolaridade, foi identificada uma inclusão das classes B e C, que aumentaram o acesso tanto nos domicílios quanto em centros de acesso público pagos.

Fonte enorme de dados, a pesquisa merece comparações e análises cuidadosas.

Procurarei fazer isso em breve.

Dia da Usabilidade

14 de novembro é o Dia Mundial da Usabilidade.

Em BH, o evento comemorativo acontece no IEC/PucMinas a partir das 14h30. A programação se estende por outras cidades brasileiras.

Dica do cc, um dos organizadores e palestrantes.

sexta-feira, novembro 03, 2006

Blog jornalístico segundo Noblat

"No blog, não. Você não pode dizer que outra pessoa apurou, o diagramador pôs no lugar errado ou o editor titulou mal. É você e pronto. Seus erros são seus. (...)Você tem que admitir que errou no post seguinte ou em algum outro post, e deixar o erro ali exposto".

"No blog você pode misturar todos os gêneros jornalísticos. Num mesmo post posso dizer que o Lula ganhou a eleição, porque que ele ganhou e em seguida dar minha opinião. Tudo isso numa mesma nota".

"É um jornalismo de autor. O blog tem o seu nome, a sua cara e as pessoas querem te reconhecer ali – quer elas tenham afinidade com você ou não".

"Blog não dá para terceirizar. É um instrumento muito pessoal de emitir informação. Você pode ter pessoas que te ajudam na apuração, mas na hora de escrever é o seu jeito, é o seu estilo, o seu modo de ver a coisa".


Estes são alguns trechos da entrevista de Ricardo Noblat à mestranda da PUC-Rio Larissa Moraes. Leia!

quinta-feira, novembro 02, 2006

Jornais gratuitos

Modelo ainda incipiente no Brasil, os jornais de distribuição gratuita já consolidaram-se na Europa, onde circulam diariamente 24 milhões de exemplares, ou 20% da tiragem do continente.

Para o jornalista e blogueiro Juan Varela, do blog Periodistas 21, esta é uma mídia de vanguarda: "los gratuitos han sido un motor de cercanía al lector, rejuvenecimiento, utilidad de la información, apuesta por diferentes ritmos de lectura y mejora del formato y el color".

O trecho está num relato do blog sobre uma das jornadas que reúnem empresários do setor, quando foram apontados "tres elementos fundamentales para el futuro de la prensa gratuita, diaria o con mayor periodicidad, generalista o zonal: calidad, distribución e internet".

domingo, outubro 29, 2006

E-mail em xeque

Precisamos de e-mail?, longo post do MeioBit, mostra como o e-mail, frente a ferramentas mais novas como comunicadores instantâneos, voip e redes sociais, está perdendo importância no dia-a-dia dos usuários.

Estou terminando um longo artigo acadêmico que exemplica esta mudança de hábito, entre várias outras. Pretendo linka-lo aqui.

Atualização em 01/11 - E-Mail is for Old People é o título de reportagem do jornal The Chronicle of Higher Education, que mostra como os adolescentes e jovens estão abandonando o uso do e-mail em prol de ferramentas como MySpace. O tradicional correio eletrônico é usado só em situações formais e para se comunicar com pessoas mais velhas. Uma referência para a reportagem é a pesquisa Teens and Technology, realizada em 2005 pelo Pew Internet & American Life Institute.

A dica veio na lista do prof. Aldo Barreto (IBICT), exponte da área de Ciência da Informação e editor da revista DataGramaZero.

quarta-feira, outubro 25, 2006

Nassif se rende à Nova Era da Comunicação

Em seu blog hospedado no IG, o jornalista Luis Nassif reproduz sua coluna econòmica com o forte título de A Nova Era da Comunicação, onde conclui que "as eleições de 2006 marcam definitivamente o fim do poder absoluto da grande mídia sobre o mercado de opinião brasileiro".

A análise traz poucas informações novas a um leitor mais conectado, mas representa uma interessante postura de um profissional de peso recém-incorporado à ferramenta blog. Aliás, está dando o que falar o que me arrisco chamar de "segunda geração" de jornalistas da grande mídia que aderiram aos blogs, como Paulo Henrique Amorim, Mino Carta e o próprio Nassif (a primeira geração, evidentemente, tem como ícone o blog do Noblat).

A dica do link veia na lista Blogosfera, por Sérgio Lima.

segunda-feira, outubro 23, 2006

Orçamento Participativo via internet

Após 13 anos de implementação, o Orçamento Participativo da Prefeitura de Belo Horizonte exibe números de impacto: mais de mil obras foram escolhidas e executadas no período, num gasto de U$ 170 milhões.

Uma característica, no entanto, sempre foi o ponto fraco da proposta: as discussões e votações em cada regional não seriam de fato representativas, pois atrairiam um público restrito, mobilizado por questões políticas ou por um interesse pessoal na aprovação de uma obra. Uma parcela significativa dos moradores estaria voluntariamente alienada do processo e distante das discussões de interesse público.

A nova proposta da PBH, supreendentemente inédita no Brasil, abre espaço para aqueles que, em diferentes escalas, migraram para outros ambientes de organização social: os usuários de internet.

No Orçamento Participativo Digital, entre 01 e 30 de novembro qualquer eleitor residente em BH (o título eleitoral será o documento exigido) poderá escolher uma das quatro obras listadas em cada regional.

Para quem não tem fácil acesso à internet, a Prefeitura oferece os equipamentos das escolas municipais, telecentros comunitários e de uma carreta com salas de aula e computadores.

É um início muito promissor para a democracia direta assumir a faceta digital alardeada por Pierre Levy e outros estudiosos com tendências futuristas.

Eleições, Globo e Blogs

O blog Global Voices Online, que monitora os debates travados na blogosfera em todo o mundo, publicou um excelente resumo da repercussão da briga entre a Rede Globo, acusada de direcionar seu noticiário às vésperas do 1o turno das eleições, e uma significativa fatia da imprensa nacional, liderada pela revista Carta Capital, que esta semana publicou a segunda capa consecutiva sobre o tema. The Media Empire Bows to Blogs é o post de Jose Murilo Junior.

E a discussão continua, via blogs: no Conversa Afiada, Paulo Henrique Amorim questiona declaração oficial da Globo de que a emissora não teria tido tempo hábil para confirmar a queda do avião da Gol; e recebe resposta do diretor-executivo de jornalismo, Ali Kamel.

domingo, outubro 15, 2006

Convergência e Jornalismo

(de volta, após intensos dias de compromissos e descansos desconectados)

Ensaio Desmitificando la convergencia periodística, publicado por José Alberto García Avilés na revista Chasqui, do Centro Internacional de Estudios Superiores de Comunicación para América Latina (CIESPAL), discute os efetivos impactos da convergência digital sobre as práticas jornalísticas, principalmente nas redaçoes européias e norte-americanas.

Sua análise parte de algumas possibilidades, bem resumidas aqui:

"Cualquier redacción está orientada a dirigir procesos y personas. En una redacción multimedia, lo importante es la organización, el flujo informativo, las directrices para encauzar el proceso, desde el momento en que surge la noticia, a lo largo de todas las decisiones que se adoptan. La experiencia de numerosos casos de convergencia muestra que la redacción multimedia se basa al menos en tres pilares:

  • Rediseño de la estructura física y organizativa de la redacción.
  • Cambio de mentalidad por parte de los periodistas y directivos.
  • Uso intensivo de la tecnología multimedia en el trabajo periodístico."
A prática, no entanto, mostra que ainda há grande dificuldade em implementar e principalmente legitimar esse modelo de trabalho e que os jornalistas têm acumulado cada vez mais tarefas, sem remuneração extra, sobrando pouco tempo e espaços para experimentação de novas linguagens.

Vale especialmente a leitura da sequência de Mitos e Realidades levantada por Avilés.

segunda-feira, outubro 02, 2006

A internet no século XXI, por Vicent Cerf

Um dos criadores do protocolo TCP/IP (portanto, responsável direto para transformação da internet numa rede mundial de computadores), Vicent Cerf fala sobre temas como O poder do IP e banda larga e Mobilidade e dispositivos móveis em vídeos disponíveis para download no site do Comitê Gestor da Internet no Brasil. A palestra Tracking Tracking the Internet
into the 21st Century foi proferida em junho deste ano.

A dica veio do blog Tecnologias, Comunicação e Sociedade.

Entrevista colaborativa

Foi publicada hoje a primeira entrevista coletiva/colaborativa organizada pelo site JW, coordenado pelo Mario Cavalcanti.

A sabatinada foi a editora do site Globo Online, Joyce Jane. Em um dos trechos mais interessantes, ela falou do planejamento de cobertura multimídia:

"
Com a tecnologia na mão, a nossa questão passa a ser cultural, de treinamento e de planejamento. Os jornalistas passam a ter que pensar sua pauta já como um "complexo" de mídias. Ao sair para fazer um perfil, além dos tópicos que serão abordados na entrevista, você já pensou e organizou a produção de um vídeo, listou e buscou áudios que ilustrarão o material a ser publicado, ou selecionou e organizou fotos de arquivo que ilustrarão a história do entrevistado. Essa riqueza de conteúdo, associada à interatividade, é o que define a Internet."

Participamos da entrevista com uma pergunta sobre a oferta e utilização de novos serviços como podcasting, RSS, alertas, blogs e acesso por PDAs.

Se a entrevista fosse hoje, me ateria ao canal de "jornalismo cidadão", Eu repórter. Me incomodou muito a necessidade de cadastro inclusive para leitura das matérias (não conheço outro site do gênero tão exigente), ao mesmo tempo intriga a tentativa de dar uma cara mais local aos textos publicados, ao contrário de similares como o Minha Notícia, do IG, que praticamente tem se resumido a adaptações de temas da grande imprensa.

quinta-feira, setembro 28, 2006

Papel com dias contados

Além do avanço tecnológico, o custo, associado à crescente diminuiçao de leitores, causará o fim dos impressos - é o que diz o magnata Arnaud Lagardère, maior editor de revistas do mundo.

"Em entrevista ao semanário Journal du Dimanche (17/9), o riquíssimo industrial francês sustentou que a imprensa diária tem dez anos diante de si. Mais uma década e os atuais jornais impressos desaparecerão. A tinta e a textura do papel ficarão para publicações mais sofisticadas, de periodicidade semanal ou mensal, como as da imprensa feminina, de decoração ou automobilística.", diz trecho da matéria reproduzida no Observatório da Imprensa.


segunda-feira, setembro 25, 2006

China next generation Internet

Rede das redes, a internet parece sobreviver sobre uma tênue linha de equilíbrio que a qualquer momento pode ser rompida por interesses políticos ou econômicos.

A matéria "Future of the Internet begins to take shape", do jornal China Daily, apresenta a intenção deste país de desenvolver a chamada CERNET2, uma rede baseada no protocolo IP com potencial de substituir a internet naquele país. A rigor, a rede já existe, mas limita-se ao uso acadêmico (não por acaso, a internet começou assim).

O argumento oficial para o investimento no projeto "China next generation Internet" é a futura insuficiência de protocolos IP para a bilhonária população chinesa. Além disso, a predominância da atual rede mundial está nas mãos do governo e empresas dos EUA, seja na adminstração de domínios, seja na propriedade da infra-estrutura primária.

Não é difícil captar, no entanto, a intenção de construir uma rede paralela de uso restrito para controlar o tráfego de informações consideradas "subversivas".

Vamos aguardar os próximos passos.

Para mais, ver matéria do Estadão ou do China Daily, em inglês ;)

domingo, setembro 17, 2006

Os chineses, esses invasores!

Carro para mim nada mais é que um meio de transporte.

Isso me faz um leitor bastante temporão de cadernos de veículos de jornais ou qualquer coisa do gênero.

Nao sei se os tais carros chineses que chegam ao Brasil são bons ou não, mas assusta a demonização já instaurada pela imprensa mineira.

Box retirado agora do portal UAI:


A foto é apelativa e a matéria pouco esclarecedora.

O site é de serviços, mas o conteúdo, "jornalístico".

E não entendi o chapéu Sopa no mel para a matéria do novo carro da Fiat (sediada em Betim, é bom lembrar).

São tantas as ambigüidades...

quinta-feira, setembro 14, 2006

Audiência integrada de jornais

Jornais são bem sucedidos ao extender sua audiência para a internet: o título resume os resultados de uma pesquisa (arquivo pdf) realizada nos EUA.

Ao contrário das previsões pessimistas, os dados indicam que os jornais, mesmo que percam (deixem de ganhar) leitores em suas versões impressas, conquistam cada vez mais leitores exclusivamente online, ou ainda leitores "integrados", aqueles que utilizam os dois suportes de forma complementar.

Isso quer dizer que, ainda que definitivamente estes novos leitores não tenham apego ao papel, permanece a credibilidade nas tradicionais instituições jornalísticas.

Enquando se especula sobre o fim dos impressos, resta perguntar: afinal, o que importa: o leitor ou o suporte?

O desafio continua sendo encontrar o modelo de negócios.

Dica da pesquisa veio do Intermezzo.

domingo, setembro 10, 2006

11/9

Dois links para esta segunda:

- Um novo estado do mundo - artigo de Ignacio Ramonet
- The 9/11 report - uma adaptação em quadrinhos do relatório oficial sobre os atentados.

Candidato spamzeiro

Lembro do cidadão envolvido (membro, não acusado) na CPI dos Correios.
Não sou do Paraná.
Nunca me cadastrei em qualquer site ligado a Alvaro Dias ou seu partido.

Gostaria de saber porque recebi o e-mail abaixo:


Não é um scan.
Portanto este cidadão e sua equipe são spammers.

Gostaria de ser do Paraná para não votar nele.

Atualização em 21/09: o colega Bruno Lemes, na lista do intermezzo, descobriu que o senador é relator de um projeto de lei que revê a punição para... spammers... Seu relatório recomenda que "o remetente de mensagens comerciais só pode enviá-las (as mensagens) a destinatários que tenham previamente consentido em recebê-las" (a reportagem está no Infoguerra).

quarta-feira, setembro 06, 2006

Aécio e a imprensa de MG - a briga está na rede

Quem é da área de comunicação em BH já ouviu falar e não pode negar: nos últimos anos o governo de Minas Gerais estaria exercendo forte pressão sobre os veículos da grande imprensa para barrar matérias prejudiciais à imagem do governo e do governador Aécio Neves.

Denúncias de imagens censuradas, boas pautas engavetadas, textos cortados por editores ou donos de jornais são recorrentes em qualquer conversa que envolva dois ou mais profissionais de redação.

Entre insinuações e o medo de represália que evitavam maiores repercussões, o assunto voltou à tona em matéria publicada no domingo 17/08 pelo jornal Folha de S. Paulo. Entre denúncias de maquiagem de contas no "choque de gestão", a reportagem (reproduzida aqui) cita os abusos de que imprensa local estaria sendo alvo. Não por coincidência, a matéria foi publicada dias antes da sabatina do governador e candidato à reeleição, que defendeu-se lembrando a falta de denúncias também contra a prefeitura de BH, comandada há 12 anos pelo PT.

Citado na FSP, o vídeo Liberdade, Essa Palavra ganhou notoriedade na última semana, após publicaçao no You Tube (parte 1 e 2). Realizado como projeto de conclusão de curso do aluno de jornalismo da UFMG Marcelo Baêta, o documentário traz depoimentos de jornalistas que, em situações tão diferentes como a cobertura de um treino do time do Cruzeiro e a denúncia de uso de drogas no centro de BH, teriam sido vítimas da mão de ferro da equipe do governador.

Surpreende agora a publicação pela equipe de campanha de Aécio de um vídeo resposta (parte 1 e 2), que acusa Liberdade... de ediçao tendenciosa e uso político dos depoimentos, além de explorar a "boa fé dos (jornalistas) que estão começando". No site oficial, Baêta se defende e apresenta mais informações.

Pergunto:

Algum dia os depoentes do vídeo Liberdade... imaginaram que, independente da edição, suas falas não teriam repercussão política?

O fato de não haver denúncias contra a prefeitura de BH significa que MG é o exemplo de honestidade e transparência polìtica ou que nossos veículos estariam ainda mais intimidados (comprometidos?) com o poder?

segunda-feira, setembro 04, 2006

Cibersociedad

Com o mote "Conocimiento abierto, sociedad libre" acontece em novembro e dezembro o III Congreso ONLINE del Observatorio para la Sociedad. Como nas edições anteriores, os pesquisadores discutirão via internet as propostas enviadas a um dos cinco Grupos de Trabalho que norteiam o evento.

As inscrições de artigos vão até 15 de outubro.

quarta-feira, agosto 30, 2006

A Batalha do Amapá

ões de marketing de guerilha, on e off-line, represenções judiciais, censura, ampla repercussão na blogosfera e, aos poucos, na grande imprensa. Ganha ares épicos a batalha de informações no Amapá.

Em seus blogs, as irmãs Alcinea e Alcilene Cavalcante publicaram a foto da pixação Xô, Sarney,
que se espalhou pelas ruas de Macapá clamando pelo fim da era Sarney na política local.

O senador entrou com várias representações no TRE local, pedindo indenização, suspensão dos blogs e direito de resposta. Por ordem judicial, a página da Alcilene está fora do ar; Alcinea resiste bravamente e pela última contagem galhou adesão de 80 blogs Brasil a fora.

Na argumentação da coligação de Sarney, a síntese do choque do Brasil arcaico com a era dos blogs: "É inaceitável que indivíduos que se dizem jornalistas armem uma longa teia de comunicação na internet para a prática de crimes".

Pergunto: que crime, cara pálida? Subversão?

Xô, mesmo!

domingo, agosto 27, 2006

Divisão Digital em números

O uso da internet em domicílios e empresas foi mapeado em pesquisa de fôlego coordenada pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil. O uso do meio nos lares foi levantado em 2005 após visitas a 8.540 domicílios e conversas com indivíduos a partir dos 10 anos.

Os resultados indicam, por exemplo, que o computador está presente na casa de 16,6% das famílias residentes no país e que a renda é o principal dificultador numa eventual aquisição do equipamento. Para de fato atingir a classe C, seu público-alvo, o programa PC Conectado deveria vender máquinas por preços bem mais em conta, caindo dos atuais R$ 1.400 para menos de R$ 1.000.

A falta de acesso em casa, no entanto, não inibe o uso do da internet: segundo o relatório, "existe uma separação entre a posse e o uso de Tecnologias da Informação e Comunicação", o que reconhece a importância dos pontos alternativos de acesso, como escolas e centros comunitários, para inclusão digital.

O PDF de 306 páginas da Pesquisa sobre o Uso das Tecnologias da Informação e da Comunicação no Brasil – TIC DOMICÍLIOS e TIC EMPRESAS pode ser baixado aqui.

sexta-feira, agosto 18, 2006

Jornais dos EUA na net

Dentre os sites dos 100 principais jornais dos EUA,

- 76% oferecerem o recurso de leitura via RSS, mas nenhum deles agrega publicidade a este serviço;
- 31% mantêm podcasts;
- 80% possuem ao menos um repórter blogueiro;
- Comentários são permitidos em 19% dos sites, enquanto 33% listam as matérias "Mais populares".

Estes são alguns dos dados apresentados no relatório The Use of Internet by American's Newspapers, publicado no início de agosto.

Vale uma leitura atenta.

quinta-feira, agosto 17, 2006

ArteMov

Obras audiovisuais com duração de trinta segundos a dois minutos e concluídas há menos de um ano podem concorrer aos prêmios do ArteMov, festival internacional de arte em mídias móveis que terá sua etapa final em BH no mês de outubro.

Embora o foco sejam vídeos realizados por e/ou para suportes móveis (especialmente celulares), qualquer produção adaptada a estas mídias será aceita.

O site traz ainda uma revista eletrônica com artigos e links sobre o tema.

A era da intercomunicação

"Na sociedade contemporânea, a política depende diretamente da mídia. As agendas do sistema político e mesmo as decisões que dele emanam são feitos para a mídia, na busca de obter o apoio dos cidadãos ou, pelo menos, atenuar a hostilidade frente às decisões tomadas".

"Trata-se, então, de uma crise de legitimidade. Mas embora o mundo afirme não ter mais confiança nos governos, nos dirigentes políticos e nos partidos, a maioria da população ainda insiste em acreditar que pode influenciar aqueles que a representam. Ela também crê que pode agir no mundo através da sua força de vontade e utilizando seus próprios meios. Talvez essa maioria esteja começando a introduzir, na comunicação, os avanços extraordinários do que eu chamo de Mass Self Communication (a intercomunicação individual)".

"Isso não quer dizer que tenhamos de um lado a mídia aliada ao poder, e de outro, as Mass Self Media, associadas aos movimentos sociais. Ao contrário: cada uma opera sobre uma dupla plataforma tecnológica. Mas a existência e o desenvolvimento das redes de Mass Self Communication oferecem à sociedade maior capacidade de controle e intervenção, além de maior organização política àqueles que não fazem parte do sistema tradicional".

Estes sao trechos do artigo de Manuel Castells publicado na edição deste mês do Le Monde Diplomatique versão br.

Leia e arquive.

quarta-feira, agosto 16, 2006

Demorou...

A coluna Toda Mídia, publicada diariamente na FSP pelo jornalista Nelson de Sá, passa a partir de hoje a repercutir a cobertura das eleições através de "quase recém-inaugurado" blog. O endereço foi divulgado na edição impressa de hoje, em nota do caderno Brasil, mas ainda não figura na página principal do UOL, FolhaOnline ou mesmo junto aos Blogs da Folha.

Um tanto normativas, as primeiras palavras do colunista são: "Bom dia Comentários abertos. Regras na coluna à direita."

O novo espaço é um desdobramento natural do trabalho de monitoramento realizado por Sá, que, cada vez mais atento às novas mídias, passa agora a repercutir podcasts e YouTube.

segunda-feira, agosto 14, 2006

Desafios da Convergência

O jornalista Caio Túlio Costa é o convidado da próxima segunda-feira, dia 21, às 19h, no auditório do campus Buritis da UNA, em BH.

Atualmente Caio Túlio é CEO da operação de Internet da Brasil Telecom e vai falar sobre os Desafios da Convergência: novas e velhas mídias na era da informação digital. Ao final, relança o livro Ombudsman - O Relógio de Pascal (foi o primeiro a ocupar este cargo na Folha de S. Paulo).

O público externo pode inscrever-se através da página da UNA.

sábado, agosto 12, 2006

YouTube ajuda Globo?

Estudo do Pew Research Center, já bastante citado na blogosfera nos últimos dias, foi repercutido pelo blog e-periodistas, de Ramón Salaverría:

"Según ese estudio, realizado con base en 3.204 entrevistas, uno de cada tres estadounidenses acude hoy día regularmente a internet en busca de noticias y, para la mayoría de estas personas, la información de los cibermedios es un complemento --y no un sustituto-- de los contenidos obtenidos por medios de comunicación tradicionales como la prensa, la radio o la televisión. La principal conclusión de este informe es que internet no está matando a los medios tradicionales sino que, bien al contrario, está ayudándolos en su búsqueda de nuevas audiencias, particularmente entre los jóvenes."

Este hábito me remeteu a uma discussão tocada em sala de aula esta semana.

Os principais presidenciáveis concederam entrevistas exclusivas ao Jornal Nacional, numa explícita estratégia da Globo de superar a imagem negativa construída ao longo das eleiçoes anteriores e de reforçar sua relevância na formação da opinião pública, cada vez mais dispersa e fragmentada.

Não vi as entrevistas ao vivo, mas, como milhares de outras pessoas, as recuperei no YouTube (Lula, Alckmin, Heloísa Helena e Cristóvão Buarque).

As perguntas que ficam no ar: até que ponto a perda da audiência da TV pode ser compensada (não em termos financeiros, mas de prestígio) pela acessibilidade constante permitida pela web? As emissoras de TV tendem a ganhar ou perder com o trabalho de um exército de voluntários que diariamente se dispõe a publicar trechos (antigos, novos, cômicos, dramáticos: enfim, relevantes) da produção audiovisual brasileira?

No caso do JN e as entrevistas, não tenho dúvidas: o velho jornal das 20h ganhou, e muito.

Morte assistida

Notícia garimpada pelo blog do Limc exibe poder de influência dos agrupamentos on-line: um adolescente gaúcho de 16 anos teria cometido suicído após orientação e acompanhamento de integrantes de um fórum (ver matéria do Zero Hora). Evidentemente ele não se matou "por culpa" da internet, mas não deixa de ser assustadora a frieza do diálogo virtual ("Acredito que funcionou (o suicídio) já que ele não tem estado em contato... "). É difícil acreditar que uma conversa como essa possa ser travada pessoalmente.

De todo modo, só mesmo o acordo velado de não divulgar suicídos na grande mídia para evitar mais uma demonização da internet.

quinta-feira, agosto 10, 2006

quarta-feira, agosto 09, 2006

AI em livro

Assunto de suma importância no ambiente digital e pouquíssimo registrado no Brasil, a Arquitetura da Informação enfim é de um livro nacional: Ergodesign e Arquitetura de Informação: Trabalhando com o Usuário, lançado pela editora Quartet. O autor é o carioca Luis Agner, doutorando em design pela PUC-Rio e autor de uma série de 10 artigos muito bacanas publicado no Weinsider: Arquitetura de informação, que diabo é isso?.

O livro está à venda no Submarino. A conferir.

Curiosidade: a obra foi cadastrada neste site de e-commerce na categoria Livros >> Arquitetura e Urbanismo >> Decoração e Design (!). Erro de classificação, um dos princípios básicos da AI...

quarta-feira, agosto 02, 2006

The Future of Innovation Journalism

Quase duas horas de mesa redonda realizada na Universidade de Stanford com alguns dos profissionais mais influentes da internet, como Vint Cerf e Dan Gillmor.


Aos eventuais leitores

Há pouco mais de um ano no ar, este blog já foi um suporte para atividades de laboratório de uma disciplina, depois em parte desvinculou-se do dia-a-dia da sala de aula.

Passada mais outra temporada de férias, concretizamos a idéia de mudar de novo este caderno, que deixa de ter qualquer vínculo institucional ou acadêmico - novas práticas e exemplos, alinhados ao conceito de web 2.0, me parecem
hoje mais interessantes para os alunos

A URL continua ativa. Muda o nome e amplia-se o escopo: NovasM, NMídias abre espaço para falarmos não só das Novas, mas também das "velhas mídias" - ou principalmente do confronto entre estes conceitos. NovasM, por outro lado, abre espaços para referências a Maravilhas, Mexericos, Modas, Memórias ou Merdas em geral.

Por tabela mudam a lista de links à esquerda, a princípio organizada pelo alfabeto, e as cores do site.

Bola pra frente então.

quarta-feira, julho 12, 2006

Vanucci Chapado

Todos ficaram sabendo, mas ninguém viu o Vanucci "grog" no ar no último domingo. Dezenas de pessoas já colocaram o trecho do vídeo no YouTube.

terça-feira, julho 04, 2006

Máscaras da privacidade















Cansado de ser vigiado, na rua, em casa ou no trabalho?
Estas bizarrices são alguns dos experimentos realizados no Royal College of Art, em Londres, e publicados no site Interaction Design, Private Public.

Dica do Carnet de Notes.

quinta-feira, junho 22, 2006

TV Digital na Copa? Quase...

Depois muitos adiamentos e especulações, tudo indica que a definição do padrão de TV Digital adotado pelo Brasil sai mesmo na próxima semana - faltaria acertar apenas especificações técnicas com os japoneses.

Enquanto isso, a geração de imagens nos estádios da Copa da Alemanha, assim com as transmissões via satélite às emissoras autorizadas, já é digital e em alta resolução. A transmissão digital do evento via TV aberta era a grande aposta de marketing da emissoras abertas, especialmente da Globo, mas o atraso limitou os testes em alta definição para telespectadores "muito especiais", como os funcionários do Ministério da Comunicação.

A TV por assinatura, que não depende da definição do padrão para operar digitalmente, aproveitou para colocar na praça algumas novidades: A TVA gaba-se de realizar a primeira transmissão em alta definição do país, restrita a assinantes dispostos a comprar uma TV de plasma compatível com a qualidade do sinal. Após a Copa, a promessa é de novos programas no formato.

O Sportv traz duas novidades ainda dissociadas. No canal SporTV Copa, a transmissão é em formato 16:9 (para todos assinantes) e com alta qualidade de som e áudio (restrito a assinantes da Sky e dos serviços digitais da Net).

Já o SporTV 2 trabalha para educar o telespectador frente à interface típica das TVs interativas: uma tela dividida em três partes, onde além da imagem principal são apresentados dados da partida e a imagem de uma câmera extra, que geralmente acompanha um jogador de destaque.

Por não oferecer interatividade (na TV Digital será possível navegar pelos quadrantes, inclusive selecionando apenas um deles em tela cheia), a experiência não agradou a maioria das pessoas com as quais conversei. Particularmente gostei da câmera extra (observar todo o tempo o comportamento de Beckham nos jogos da Inglaterra, sempre isolado na lateral, fugindo do jogo, é a prova da limitação técnica do suposto craque), mas acredito que as estatísticas precisam de um tratamento maior para serem de fato relevantes. Será que o Sportv não tem ninguém para elaborar informações adequadas àquele espaço?

De todo modo, esta é possivelmente a única experiência que foge da restritiva associação entre TV Digital e HDTV, que é de óbvio interesse das emissoras já estabelecidas.

quarta-feira, junho 14, 2006

Pela Neutralidade da Rede

Poderia a internet se tornar um serviço pago como as TVs por assinatura? Ou poderá haver diferenças na qualidade e velocidade do serviço daqueles dispostos a pagar pelo tráfego de dados?

Rompendo com o modelo horizontal, baseado na "neutralidade na rede" que caracteriza a internet, estas possibilidades tornaram-se reais quando a Comissão Federal de Comunicações dos Estados Unidos, que regulamenta o setor por lá, enviou ao Senado dos EUA projeto que dá novos poderes às grande organizações de telecomunicações. Empresas com a gigante AT&T poderiam cobrar tarifas por serviços específicos, rompendo o modelo de negócio hoje vigente, que baseia-se no acesso (vale lembrar que umas das estratégias já consideradas para acabar com o spam é a tarifação do envio de e-mails).

O contra-ataque, evidentemente, já começou. Milhares de organizações, blogueiros e cidadãos já reunem em torno de sites como Save the Internet e It´s Our Net para evitar a aprovação do projeto.

Leituras adicionais: Ameaça à internet livre, do Estadão, e No Tolls on The Internet, artigo publicado no Washigton Post. Também Why the Democratic Ethic of the World Wide Web May Be About to End (editorial do NYTimes) e repercuções no Google Blog. Links via Carnet de Notes.

sábado, maio 20, 2006

Navegando pelas tags

Um brasileiro desenvolveu o Google News Cloud, uma ferramenta que extraí palavras-chave de matérias indexadas pelo site de notícias do Google e as distribui numa interface que nos permite visualizar as mais populares.

Na definição do autor, Fernando Serboncini, "o Tag Cloud é um programinha que baixa as últimas notícias do Google News e monta um tag cloud com as palavras chaves que ele descobre em cada notícia. O site é atualizada de hora em hora automaticamente".

Muito simples e interessante, especialmente a relação entre as palavras-chave.

sexta-feira, abril 28, 2006

Jornais em PDF e flip

Um jornal impresso, em sua versão online, deve adaptar-se à natureza hipertextual da internet, facilitando a navegação pelo usuário, a composição de bancos de dados de notícia e até mesmo a indexação das páginas pelos mecanismos de busca.

Certo? Não necessariamente, ao mesmo se julgarmos os sites de diferentes jornais brasileiros e estrangeiros.

Muito criticado, o formato PDF mostra-se uma solução recorrente para quem não abre mão da diagramação original dos jornais, especialmente das capas. Estado de São Paulo (que possui ainda versões Digital e "Somente Texto" - na verdade em html) e o O Tempo são dois exemplos deste modelo.

Já El País lançou o projeto 24 horas (dica via blog português Comunicação e Jornalismo), que oferece a qualquer leitor, sem nenhuma burocracia, uma versão de 12 páginas de conteúdo atualizado ao longo do dia para impressão. Mediante cadastro gratuito, é possível escolher entre as versões geral, internacional, espanhola e de economia, e ainda a previsão de tempo de sua cidade. Vale ler a análise inicial de Daniela Bertocchi no blog Intermezzo.

Outro formato que transpõe a lógica de leitura do papel para a tela é a tecnologia nacional Flip, que já tem como adeptos o carioca O Dia e o baiano A Tarde. Aqui é possível conciliar um grau mínimo de hipertextualidade (link nos títulos, os mesmos da versão impressa) e o velho hábito de folhear as páginas.

Por fim, Microsoft e New Yort Times anunciaram na última semana uma parceria para fornecer aos leitores uma versão para download do jornal, chamada de Times Reader. A partir de um software especial, o diário poderá ser lido impresso ou lido off line, e manterá as características gráficas da versão impressa. Ponto para a mobilidade, que neste momento parece muito mais importante para as empresas jornalísticas que qualquer adaptação de linguagem do papel para a web.

quinta-feira, abril 27, 2006

Barraco na Espn

Lavando a roupa suja: Trajano e Paulo Soares brigando durante programa Linha de Passe, da ESPN, no último domingo, 23/04.

Pra secar a roupa: jornalistas fazem as pazes em vídeo publicado originalmente no site da emissora, já reproduzido no You Tube.

E férias para os dois até a Copa do Mundo...

quarta-feira, abril 26, 2006

Bolsa Pesquisa

As inscrições para a segunda edição do programa UOL Bolsa Pesquisa, voltado para alunos de doutorado, mestrado e graduação e professores universitários, estão abertas até o dia 20/05.

Entre os temas considerados estão os blogs, jornalismo digital, privacidade, spam e redes sociais pela Internet, embora os projetos aprovados no ano passado sejam todos de desenvolvimento tecnológico e tenham entre os componentes professores e alunos do Departamento de Ciência da Computação da UFMG, fundadores da empresa de busca Akwan, comprada em julho de 2005 pelo Google.

Considerando a importância da pesquisa para a empresa norte-americana, certamente os candidatos deste ano não terão a turma do DCC como concorrentes...

terça-feira, abril 25, 2006

Sem fio e gratuito

A conectividade sem fio é sem dúvida a bola da vez para os usuários da internet, que pouco a pouco vão incorporando ao seu cotidiano diferentes dispotivos móveis, como o popularíssimo celular, os notebooks ou ainda desconectados mp3 players.

A cidade de Sobral, no Ceará, promete criar uma onda de conexão sem fio gratuita para todos localizados em seus limites. A solução seria a interligação de 8 estações da tecnologia Wimax, testada no ano passado em Ouro Preto através do projeto Cidade Digital.

As dificuldades são muitas, como aponta reportagem da Tecnology Review sobre a implementação de uma rede também gratuita na pesquena cidade norte-americana de St. Cloud, localizada no estado de Orlando e pioneira neste serviço. Muitos de 28 mil habitantes ainda preferem pagar pela conexão por não conseguirem conectar-se à rede pública devido a problemas técnicos.

Não custa lembrar que o Google e o provedor Earthlink trabalham para a viabilização de uma rede wireless para a toda a cidade de São Francisco, na Califórnia.

sexta-feira, março 31, 2006

Video no celular (em MG!)

Reproduzido do jornal Estado de Minas de hoje (acesso só para assinantes)

Nova linguagem visual
Eduardo Tristão Girão

Cada um dos seis diretores do longa-metragem 5 frações de uma quase história, que começou a ser rodado terça-feira, em Belo Horizonte, dispõe de um telefone celular com câmera digital para registrar bastidores das filmagens e cenas que integrarão o making of da película. Todos esses conteúdos estarão disponíveis em breve no site da Telemig Celular integrando projeto que disponibilizará (para seus clientes) cerca de 50 conteúdos de vídeo, até outubro, no site da empresa pelo sistema WAP (que permite navegar pela internet através do celular). Marcos Barreto, gerente de desenvolvimento cultural da Telemig adianta, ainda, que estão em estudo a transmissão de clipes musicais do projeto Conexão. A empresa atende aproximadamente 3,5 milhões de clientes, mas não sabe precisar quantos aparelhos estão aptos a reproduzir os vídeos.

Ao mesmo tempo em que esse projeto apresenta o telefone celular como mídia alternativa para divulgar produções cinematográficas, a atual tecnologia do próprio aparelho impõe barreiras para realização da proposta. Cenas com muita movimentação de câmera, movimentos rápidos e tomadas de ação acontecendo em partes pequenas do quadro prejudicam a visualização de filmes no celular – sem falar, é claro, de legendas, que se tornariam ilegíveis. “Fizemos opção por trabalhar com menos aparelhos, só os melhores, para não distorcer imagem nem som”, explica Barreto.

Para o cineasta e artista plástico Cao Guimarães, que enxerga o suporte como um novo desafio, as deficiências do telefone celular para transmitir vídeos não representarão apenas um lado negativo da questão. “A limitação técnica se transforma na linguagem dessa própria mídia, como por exemplo, a baixa resolução”, afirma. Ele cita a documentarista Consuelo Lins como exemplo, já que ela participou de festival de vídeos feitos com câmeras de telefone celular em Paris. “Não há como saber onde isso vai parar. Na minha infância, a realidade era o que a gente via, era a rua. A nova geração já nasceu com essa tecnologia, olhando para a tela do computador. Antes de nascer, já somos imagens no scanner do ultra-som”, diz.

DE GRAÇA A Telemig Celular já disponibilizou no seu site, em caráter experimental, 10 trechos de curtas-metragens realizados pela produtora mineira Teia. Os downloads podem ser feitos gratuitamente pelos clientes da empresa. Apenas sete modelos de aparelhos podem reproduzir esses vídeos. “Quando fizemos a migração para o sistema GSM Edge, começamos a pensar em como colocar essa tecnologia a serviço de projetos culturais. Com os aparelhos se tornando cada vez mais evoluídos, começamos a vislumbrar um projeto coletivo na área audiovisual. Queremos contribuir para divulgar produções que não chegariam espontaneamente ao público”, explica Barreto.

O gerente de desenvolvimento cultural recebe muitas propostas de interessados em divulgar gratuitamente trechos de filmes tanto no site quanto via celular, mas a iniciativa deve contemplar somente as produções apoiadas pela empresa. “Teremos em breve uma nova realidade de produção digital, com mais pessoas se familiarizando com equipamentos cada vez mais poderosos. Isso pode ser promissor, mas também pode gerar uma banalização enorme. Mas estamos nos cercando apenas de pessoas sérias, com sólida formação audiovisual”, avalia.

"A limitação técnica se transforma na linguagem dessa própria mídia, como por exemplo, a baixa resolução" Cao Guimarães, cineasta e artista plástico

sábado, março 25, 2006

Mobile Creative

Embora o uso ainda seja pequeno, o celular já é reconhecido como uma poderosa mídia de divulgação e relacionamento para empresas junto aos seus diferentes públicos. Entre as estratégias já reconhecidas pelo mercado estão a consolidação de um banco de dados construído mediante cadastro explícito dos usuários (opt-in) e a articulação da mensagem com ações subsequentes pelos usuários, por exemplo a visita a um site ou a uma loja (o chamado call to action).

Mas quais seria a especificidade da criação publicitária para a mídia celular, considerando principalmente o caráter multimídia dos novos aparelhos que já circulam por aqui?

É este o desafio do prêmio Mobile Creative, que propõe a produção de peças divididas em seis categorias: imagem, fotografia, vídeo, contos, som e interação.

O tema é Expressões do Brasil. O briefing convida os candidatos a "provar para um estrangeiro que apesar dos pesares o Brasil é um país maravilhoso (...) Imagine... Como colocar esse país tão colorido e rico em um dispositivo móvel".

Os inscritos serão analisados por um júri especializado e pelo voto popular durante a 20ª Semana Internacional da Criação Publicitária, que acontece em SP no início de abril.

quarta-feira, março 22, 2006

Flimes raros online

Filmes clássicos, já não protegidos pelas leis de direito autoral, ganham espaço privilegiado na internet. É o que destaca a matéria Filmes raros e antigos de graça na internet: torne-se um colecionador, do jornalista Paulo Rebêlo, colaborador da Folha de Pernambuco e responsável pelo blog Toca do Super Ranzinza.

Os sites indicados funcionam como outros alinhados ao conceito de web 2.o, entre eles o YouTube, mas oferecem um acervo bem específico. Também aceitam envio e compartilhamento de arquivos, é claro.

Minha primeira impressão do Veoh foi muito boa.

segunda-feira, março 20, 2006

File Rio

Começa nesta segunda, dia 20, a edição carioca do Festival Internacional de Linguagem Eletrônica (FILE). Na programação estão artistas convidados e selecionados para o File Mídia Arte, instalações e simpósios, tudo com entrada gratuita.

Até 20 de abril, no Centro Cultural Telemar, no bairro do Flamengo.

sexta-feira, março 17, 2006

Ação Cross Media

Fonte: Telaviva


Marketing

Gradiente cria micro seriado em ação para novo celular
16/03/2006, 18h53

A Agência Africa criou para a Gradiente uma ação inédita no Brasil: uma microssérie interativa de seis capítulos, filmada por meio de um celular para ser veiculada na internet. A ação visa promover um novo aparelho da marca, que contém câmera filmadora, além de MP3 Player e câmera fotográfica. As cenas serão gravadas pela equipe da Sentimental Filme, utilizando unicamente a câmera do Gradiente GF-910.


A ação envolve ainda o MSN Messenger, comunicador instantâneo de internet, com 16,5 milhões de usuários no País. A participação do público ocorre quanto à seqüência de cada episódio, pois a escolha de temas e elenco fica a cargo dos internautas, todas as terças-feiras. A agilidade é o maior ingrediente desta ação: os usuários têm dois dias para votar, a agência Africa tem um dia para criar o roteiro baseado na escolha dos usuários, e a Sentimental tem um dia para produzir, filmar e editar.

A ação estreou na última terça, 14, e, sem qualquer suporte promocional ou divulgação de imprensa, contou com a participação espontânea de 36 mil visitantes, além de 12,4 mil votos entre 130,8 mil page-views. Os números superam a última ação feita pela Gradiente, a Rádio Vibe, que contou com média de 22 mil ouvintes diários no mesmo MSN. Edianez Parente - TELA VIVA News

Cuidado ao encaminhar...

O uso do e-mail corporativo tem sido causa muito frequente de conflitos em funcionários e empresas. As tentativas de solucionar o problema em geral variam entre a adoção de medidas punitivas (a jurisprudência diz que a empresa pode monitorar o e-mail cedido ao funcionário, uma vez que trata-se de um instrumento de trabalho que expõe o nome da corporação) e uma tentativa de conscientização dos funcionários, o que dependeria de treinamentos e uma dose de bom senso por parte de todos.

O assunto volta à tona com a denúncia de Fernando Rodrigues, através de seu blog, de que o presidente da Funarte, Antônio Grassi, teria usado seu e-mail @funarte.gov.br para repassar a polêmica "lista de Furnas".

Grassi alega que o e-mail foi operado por algum funcionário de seu gabinete, o que expõe outro problema comum: são raros os diretores de empresas que cuidam pessoalmente de sua caixa de correiro eletrônico. Ao delegar a responsabilidade, abrem espaço para usos indevidos de terceiros. Mas o e-mail continuará com seunome@aempresa.com.br ...

Mérito para o apurado senso de investigação de Rodrigues.

quarta-feira, março 15, 2006

Dois pesos, duas medidas

A incompreensível tentativa de limitar a divulgação da Copa do Mundo via internet foi amenizada após a enorme repercussão negativa, especialmente no meio jornalístico. Fifa cede e desiste de restringir fotos da Copa para jornais e sites, diz nota do UOL publicada esta semana, da qual destacamos declaração de Timothy Balding, executivo da Associação Mundial de Jornais: "Com a eliminação de limites no número de fotos, a Fifa mostra que respeita a liberdade de imprensa e quer preservar o fluxo livre de informação. Foi uma decisão sábia do senhor Blatter".

Curioso: não parece ser esta a opinião da Associação ao ameaçar o Google News, que detecta notícias mais relevantes de diferentes fontes para montar sua página principal, que sempre linka para a páginas do site original. O serviço baseado em algorítimos é acusado de prejudicar financeiramente os jornais, que deveriam receber comissões ao serem citados (e receberem mais visitas) via Google News. Nota d'O Globo Online: Indústria de mídia tradicional ataca Google News.

Enquanto isso, o Digestivo Cultural, um dos mais representativos frutos da internet no Brasil, comemora sua inclusão no Google News em português e a consequente duplicação da visitação mensal do site...

Epa, mais visitação não pode resultar em mais lucros para os jornais online??

quinta-feira, março 09, 2006

TV Digital: tiro falso (?)

A Folha de S. Paulo deu o furo na edição de ontem: Lula escolhe padrão japonês para TV digital foi a manchete principal do jornal, surpreendendo a todos, mesmo os que estão cientes do prazo de decisão prorrogado pelo governo apenas até sexta, 10 de março.

De Londres, Lula nega com um argumento pouco convicente: "Como é que eu já decidi se eu estou aqui?".

O fato é que, apesar de uma crescente pressão da sociedade civil através de manifestos e abaixo-assinado, dificilmente a decisão passa da próxima semana. O padrão a ser adotado deve mesmo ser o japonês, conhecido com ISDB, ainda que os representantes do modelo europeu tenham feito uma intensa campanha nas últimas semanas.

Entre os argumentos, os japoneses teriam oferecido melhores condições de transição do modelo analógico para o digital, o que evitaria uma pressão para que as classes mais pobres tivessem que comprar novos aparelhos em um prazo menor que, digamos, 10 anos (confesso não entendi: quem deveria definir o tempo de transição não seria o governo com as emissoras? O que o padrão escolhido teria a ver com isso?)

Outra vantagem: os decodificadores (set top boxes), que permitiram a exploração de alguns recursos da TV Digital através dos atuais aparelhos, seriam mais baratos - a partir de R$ 200.

Um fator muito importante ainda não foi definido: o investimento no parque tecnológico brasileiro, o que poderia fomentar pesquisas e inovação, resultando em mais patentes e tecnologias nacionais.

Os beneficiados? Em primeiro lugar as TVs abertas, que evitam uma abertura automática do mercado de conteúdo audiovisual a concorrentes de peso ($$), em especial as empresas de telefonia móvel.

Tudo indica que, ao fim, o brasileiro em alguns anos assistirá TV no qualidade muito superior à atual (a lata definição - HDTV - é uma característica importante do ISDB), mas permanecerá limitado o número de canais que transmitidos na rede aberta. Pouco, muito pouco para tantas possibilidades abertas pela convergência tecnológica.

Em breve voltaremos ao assunto.

sexta-feira, fevereiro 24, 2006

Novas Mídias, velhos monopólios

Como a Copa do Mundo da Alemanha vai influenciar o mercado das Novas Mídias no Brasil? As previsões são bem otimistas: como a maioria dos jogos será realizada à tarde, a internet deve ser o principal meio disponível para um significativo número de trabalhadores. Soma-se ainda a popularização da banda larga: hoje são cerca de 7,5 milhões de usuários no Brasil, cinco vezes mais que na Copa da Ásia.

Alguns fatores jurídicos e econômicos, no entanto, prometem diminuir ou até impedir o festival de informações que se espera de um evento deste porte.

A Rede Globo publicou antes do carnaval anúncios em jornais de circulação nacional alertando para sua exclusividade na Copa e a necessidade de outras empresas procurá-la para adquirir os direitos de transmissão, inclusive na internet (a princípio uma exclusividade da Globo.com, para assinantes) e via celulares (por enquanto fechou apenas com a Vivo).

Outra informação mostra restrições ainda maiores: a Fifa vai proibir a publicação de fotos em sites durantes o jogos do Mundial - e após a partida, o limite será de 10 imagens. Só serão serão credenciadas as empresas que obedecerem a estas regras, informa a entidade, que já tem a oposição da Associação Mundial de Jornais: "são interferências tanto na liberdade editorial e na independência quanto uma violação da liberdade de informar", afirmou o chefe-executivo Timothy Balding (ver matéria da Folha de S. Paulo, apenas para assinantes).

segunda-feira, fevereiro 20, 2006

Vc repórter (ou voluntário?)

Sem alarde (quando terá acontecido?), o portal Terra colocou no ar o projeto Vc Reporter, que a exemplo de vários veículos mundiais e o brasileiro Estado de S. Paulo, visa incentivar o envio de conteúdo audiovisual (principalmente fotos) pelos usuários, os chamados repórteres-cidadãos.

Descobri a iniciativa do Terra durante a cobertura do show do U2.

No termo de cessão de direitos imposto aos inscritos, dois pontos chamam a atenção:

1) "O conteúdo deverá ter foco em tragédias, tais como: fotos, textos e/ou vídeos de catástrofes, acidentes coletivos, como enchente, descarrilamento de trens, acidentes de ônibus, dentre outros". Será que apenas este tipo de fato é de interesse jornalístico? Nada mais poderia ser produzido pelos anônimos? Então por que fotografar um show de rock?

2) "Com a presente cessão, o Colaborador autoriza TERRA e/ou seus parceiros a utilizar, sem quaisquer ônus, o conteúdo para veiculação em/e através da Internet e/ou nas Tecnologias de Plataforma Wireless, bem como em qualquer outra mídia, incluindo, mas não se limitando a rádio, televisão aberta ou por assinatura, portais de voz, entre outros". Ou seja: trabalhe de graça para os outros, quem sabe sua foto não aparece até no jornal ou na TV!

Ah, sim: procuramos as possíveis fotos dos colaboradores presentes nos shows do U2, mas na página especial permanece apenas um convite para os voluntários...

domingo, fevereiro 19, 2006

Novo IG

O portal IG está de cara nova.

Desde a última quinta, dia 16/02, está no ar seu novo projeto gráfico, que já vem sendo comparado com a arquitetura da informação (informações em boxes) e layout (cores frias, com muito cinza) há algum tempo adotados pela Globo.com.

As novidades de conteúdo são o maior espaço dedicado aos blogs, que parecem se firmar como espaço para articulistas livres para trazerem o "calor" da web para o ambiente ainda burocrático das redações online, e uma tendência em explorar o conteúdo de banda larga (principalmente vídeos), privilegiando assinantes, como rege o modelo de negócios predominante no Brasil.

Ao navegar, um benefício é imediato: a substituição dos pop-ups e pop-unders (aquelas famigeradas janelas publicitárias que só atrapalham o visitante) pelo formato "super-banner".

sábado, fevereiro 18, 2006

Stones e pedradas

Nesta semana, dois acontecimentos aparentemente opostos - novas reações contra a reprodução de charges ofensivas ao profeta Maomé e os megashows dos Rolling Stones em Copacabana e U2 - trazem-nos ao menos uma característica comum: a capacidade de reunir multidões em torno de grandes manifestações políticas, culturais ou ao menos midiáticas.

Não há dúvida que a rápida dissemição de informação através da novas tecnologias, especialmente a internet, teve papel fundamental neste processo. É impressionante, por exemplo, que a publicação (no ano passado) de 12 charges de mau gosto em um jornal obscuro de um país até então inexpressivo politicamente tenha nos colocado à beira de um conflito entre civilizações. Tamanha repercução só foi possível após uma divulgação muito rápida via redes eletrônicas, colocando frente a frente os valores muito distintos de Ocidentais (liberdade) e Orientais (sagrado).

Em interessante entrevista publicada no último domingo no caderno Mais!, da FSP, o historiador norte-americano Robert Darnton vai além: "A comunicação entre culturas não traz a compreensão automática, e mesmo no longo prazo as coisas podem piorar. Por mais que tenhamos fé na comunicação aberta e na capacidade da mídia se espalhar e penetrar em territórios distantes, acho que seríamos inocentes se achássemos que a comunicação por si mesma nos levaria a um final feliz" (íntegra da entrevista só para assinantes UOL ou FSP).

Do lado de cá, mais histeria. Milhões de fãs vão se espremer hoje em Copacabana para ao menos ouvirem o show dos Rolling Stones; milhares se penduraram ao telefone, enfrentaram filas ou ficaram online para conseguir ingressos para as apresentações do U2, e agora acampam à espera da abertura dos portões. Nínguém duvida do peso dos eventos; as passagens anteriores das bandas pelo Brasil, no entanto, definitivamente não provocaram tamanho frenesi, ainda que fossem estréias. Quantas comunidades Eu vou, Eu consegui ingresso etc já devem se espalhar nos sites de relacionamento? Vamos aguardar os fotologs com imagens escuras dos eventos... Adaptando Darnton, o mundo pop penetrou de vez no distante território tupiniquim e a promessa é de final feliz.

Aumentam a comunicação, a idolatria, vontade de fazer história, a desinformação. As mãos que lançam pedras em embaixadas são as mesmas farão coreografias para o novo DVD dos Stones?

terça-feira, fevereiro 14, 2006

Cruzada anti-spam

Mais uma tentativa de minimizar a perda de tempo e prejuízos causados pelas dezenas (ou centenas, milhares...) de e-mails indesejados ou fraudulentes que recebemos diariamente: o Centro de Estudos, Resposta e Tratamento de Incidentes de Segurança no Brasil (CERT.br) lançou esta semana o site AntiSpam.br, que concentra suas orientações na prevenção a ser adotada por cada usuário para evitar a contaminação de sua máquina.

Sem dúvida é a melhor estratégia, já que nessa perseguição de "gato e rato" parece longe o dia os avanços tecnológicos ou ações policiais conseguirão barrar a ações de verdadeiras quadrilhas internacionais.

Saiba como colaborar:

antispam.br

segunda-feira, fevereiro 13, 2006

Infografia

Novidade amplamente debatida em 2005, e também aqui no blog, o notebook de apenas U$100 proposto por Nicholas Negroponte para combater a exclusão digital, principalmente em escolas do terceiro mundo, parece ter caído no esquecimento. Até o momento nenhum país aparentemente topou investir os milhões esperados para baixar o valor de produção.

Enquanto isso, uma infografia publicada no site Consumer (em espanhol) mostra o funcionamento de cada pedaço da engenhoca projetada no MIT. Alguns detalhes são muito curiosos: a correia que vira fio de tomada e a tampa que, fechada, permite a leitura de textos.

Resta saber como (e se) funcionaria quando o computador cair na mão dos estudantes ...

quinta-feira, fevereiro 09, 2006

Estréia

Olá para todos.
Primeiro de tudo, gostaria de parabenizar o professor Carlos pela criação do blog. Espero que os alunos leiam os textos indicados - a seleção está bem interessante - e também deixem suas contribuições e comentários. Para comemorar com vocês minha estréia aqui, deixo a indicação do site http://www.mediaartnet.org , em que está acessível um vídeo em homenagem a Nam June Paik - considerado o pai da videoarte e que faleceu em 2006. O site disponibiliza ainda trechos de obras de vários artistas vinculados às novas mídias. Vale a pena conferir!

terça-feira, fevereiro 07, 2006

Longa de celular

"SMS Sugar Man", considerado o primeiro longa-metragem gravado inteiramente com celulares, está prestes a ser lançado. Será distribuído em salas de cinema e via aparelhos, em episódios.

Estaremos reinventando a idéia de "uma câmera na mão, uma idéia na cabeça"?

Mais na nota do Guia da Semana
ou no site oficial, em inglês.

domingo, fevereiro 05, 2006

Novos links

Aproveitando a virada do ano, acrescentamos ao menu direito novos links de sites e blogs que discutem Comunicação e Novas Mídias. São eles o Tela Viva, que faz uma excelente cobertura do mercado audiovisual (destaque para o tema da TV Digital) e BrainStorm 9, blog especializado em Publicidade.

De volta

Antigos e novos leitores,

terminadas as longas férias escolares - e um inevitável afastamento do computador e afins -, voltamos com gás total para o semestre e atualização do blog.

Temos logo uma novidade: passa a blogar aqui a jornalista Liana Caldeira, especializada em Arte e Novas Mídias, que assumiu novas turmas da disciplina Novas Mídias. Seja bem-vinda e aguardamos seus posts.

Nossa idéia inicial é desvincular ao máximo o blog das atividades acadêmicas rotineiras de sala de aula, evitando temas pouco relevantes para possíveis visitantes externos e desencontros com os alunos (usaremos sempre a Sala Virtual para disponibilizar tarefas e textos).

A adaptação, no entanto, não tira o caráter pedagógico do site: este continuará sendo um espaço de divulgação e reflexão diretamente ligado às discussões em sala de aula.

Os posts antigos naturalmente continuam disponíveis para consulta.

Para saber mais sobre blogs, vale acessar o post publicado em agosto.

Um excelente 2006!