terça-feira, agosto 30, 2005

Nem apocaliptico, nem integrado

Os quatro autores estudados nas últimas semanas têm visões bem marcadas sobre os impactos que as Novas Mídias têm causado para a sociedade atual. Baudrillard e Virilio são pessimistas (embora recusem este rótulo) perante nossa excessiva e crescente dependência dos artefatos digitais, enquanto Lévy e Negroponte privilegiam os ganhos sociais e econômicos que conquistamos com as recentes inovações tecnológicas.

Não por acaso o confronto entre estes autores revive uma velha polêmica que ronda a comunicação: a disputa entre Apocalípticos e Integrados, que, segundo Umberto Eco, armam-se de vários argumentos para, respectivamente, atacar e defender a cultura de massa. Essa velha polêmica parece longe de acabar.

Manuel Castells, o próximo autor que estudaremos, está distante desta briga. No texto "Internet e Sociedade em Rede", ele afirma que a internet inspirou "uma extraordinária mitologia" elaborada por sociólogos pós-modernos, futurólogos e jornalistas pouco informados, mas prefere analisar a partir de pesquisas atuais. "Jamais faço previsões", resume.

Nenhum comentário: